terça-feira, 13 de outubro de 2009

Um acontecimento que jamais passará de um sonho, uma ilusão em que acredito!


Já há bastante tempo que não o via.. senti necessidade de o ver, talvez uma saudade, ao certo eu mesmo não sei o sentimento que sentira naquele momento. Porém eu tinha como uma força que me puxará, um sinal que me indicará que algo não estava correcto, era como se fosse um chamamento de Deus, ou mesmo não passasse de um pressentimento meu, assim eu não poderia ficar, pensamentos de dúvidas, incertezas, os "porques" de sentir isso em mim,não se justificará por mais coisas que pensasse que poderia ser. Assim fiz.. procurar a resposta!
Ele abríu-me a porta de sua casa e disse-me:
-Laura, numa mais cá apareceste, andas desaparecida- exclamou com a sua voz carinhosa.
-Eu sei ,Padrinho. Na verdade, ando em época de testes e sabes como eu funciono com estas situações, sei que me preocupo demais, mas enfim é a minha personalidade,infelizmente.
-Claro que sei, mas tens que ter calma, tu consegues, concentra-te nos teus objectivos. Vêm comigo, vou à rua passear o cão.
E lá fomos.. falamos de todos os temas que pudessem existir, as novidades,enfim um pouco de tudo...mas algo não estava bem ,eu sentia, um medo, algo que não conseguia entender no momento. Sentia dores no peito, como se fosse prever o que iria acontecer, parece absurdo mas é a mais pura das realidades. Porém não prestei "atenção" a estes pequenos sinais, pensei que fosse "stress" devido aos testes, só depois me dei conta que talvez não fosse isso que pensava.. foi nesse momento que senti que talvez já não houvesse mais um dia, cruzei o último olhar..
A minha mãe foi buscar-me a sua casa e fui para a minha. Assim, adormeci com muita dificuldade,mas isso mais uma vez não liguei, era um "hábito", o que foi surpreendente foi o facto de eu sonhar com a "morte". Acordei e voltei a adormecer.. o sonho voltou..
Como estive a noite constantemente a acordar, não me dei conta e continuei a dormir, mas um dormir diferente.. Já passava da hora de me levantar para ir para a escola e a minha mãe não me acordou como era de costume. Ai, vi que tudo o que sonhava, tudo o que presentia talvez não fosse apenas receios meus.
Assim, me levantei e me dirigi ao quarto da minha mãe.Agora eu tinha "quase" a certeza que algo se passava e de muito grave.
-Senta-te aqui,Laura..Vais ter que ser muito,muito,muito forte- disse com uma voz tão triste..
-Diz-me, o que se passou? quem morreu?
-Foi o teu Padrinho!
Nesse momento, nem sei o que senti..talvez mesmo depois de ter ouvido aquilo que mais temia, não acreditava.. Ainda hoje não acredito que ele partiu. É sem qualquer dúvida a minha maior saudade, embora já não estejas aqui, sempre estarás vivo dentro de mim. Foste tu quem me criaste.
Todos me disseram que eu tinha que seguir em frente, mas ninguém entende que é a pior dor seguir em frente sem te ter no meu presente.


Recordo-te sempre a cada dia e cada vez mais me fazes falta, serás sempre o meu "PAI", o meu Anjo da guarda.ETERNO É AQUILO QUE TU SERÁS SEMPRE!

Um comentário:

Preto & Branco disse...

Força Lurinha .
Estou sempre do teu lado, sei perfeitamente pelo que estás a passar.

Beijos , as melhoras