quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Jardins Proibidos

o que é certo é que te destacas e sinceramente,
 não compreendo o motivo pelo qual acontece isso e tudo o resto seja observado por mim como a preto e branco
    Um dia aprendi que existe jardins proibidos , que só lá entram quem nós queremos, mas que são esses jardins que nos cativam por serem os mais inacessíveis e assim ditos "proibidos", que não devíamos passear neles, porque por vezes basta um passeio simples para tudo se transformar em nós (sem nós queremos).       Acontece quando colhemos uma rosa desse jardim e ela apenas encanta por ser bonita , a sua beleza fascina e a sua fragrância é incomparável, assim queremos-la sempre perto de nós. levámos-la para casa. e depois? Com o passar do tempo, a rosa vai murchando, tal como aconteceu nossa relação, não por não ser bem cuidada, mas sim porque uma pessoa bonita mas sem carácter é como uma rosa sem fragrância. E para mim, a beleza pode chamar a atenção, mas é a personalidade que conquista o nosso coração.  
   O pior é quando existe um único jardim que tem todo o seu encanto reflectido numa beleza extraordinária e nunca antes vista, que nos permite o contacto com a natureza. Existe outros jardins. Nesses jardins, existe rosas bem bonitas, mas existe uma especial que eu quis para mim, ( utilizo o verbo conjugado no passado, porque é assim que hoje te considero). Depois de ti, só consegui encontrar rosas mas é como a cor estivesse desbotada e não tivesse aquele vermelho intenso e puro que tanto já gostei. 
  Hoje passeio seja qual for o jardim mas já não colho rosas, não por ter medo de me picar nos seus espinhos, mas sim porque aprendi uma lição contigo e que não quero voltar a reviver essa situação. 
    Quem foste e quem és, é como uma rosa perdida, num jardim deserto e que jamais receberá os meus passeios. 
    Considero-te , um jardim proibido (...) e tantas voltas dei bailando que a rosa se desfolhou.

3 comentários:

jo disse...

está lindo minha loirinha! adorei *

Anônimo disse...

Só adoro o teu blog :)

Patrícia Conceição disse...

Adorei. O texto está excelente, brutal mesmo :)