quinta-feira, 2 de setembro de 2010

sinto falta de ti #

é do teu abraço que tenho saudade
      O meu coração teima em ser relutante e quando está perto de ti as palavras são exíguas. Mas eu não senti aquele desejo de sentir os teus lábios dos meus, talvez por saber que um beijo pode não alterar sentimentos mas faz mudar rumos. Aprendi contigo que não existe o conceito de destino, somos nós que traçamos o nosso caminho. Assim, afirmo puramente que se um dia voltar a envolver-me nos teus braços é porque ambos lutamos com todas as forças para este amor proibido vencer, caso isso não aconteça não é por ter sido a força do dito destino ter sido mais suprema que a nossa força interior. Deixo-te isso bem claro. 
  Senti vontade e sinto que isso foi uma vontade reciproca de nos abraçarmos e esquecer naquele instante o mundo. Andei a teu lado naquele momento e apenas sugeria na minha memória aquela imagem quando me davas a mão, fazias questão disso, para que todas as pessoas pudessem observar que por detrás de inúmeras  discussões, vivíamos em plena cumplicidade e nutríamos acima do nosso amor, um companheirismo incomparável. Houve nesse dia momentos em que permanecia um ambiente taciturno entre nós, entre frases que trocávamos um com o outro, havia um sentimento nostálgico e assim o silêncio invadia-nos o peito e contudo calava o sentimento. Eu sabia que tinha que ser fiel à razão e ignorar custa-se o que custa-se a voz do coração. Assim, fiz. Falava e a expressão que te transmitia sei que era de sisuda e sei que consideras essa expressão sarcástica vinda de mim. 
   Estamos distantes mas sei que ainda existe um lanço bem forte que nos une , as memórias que possuímos do que vivemos são mais profundas que qualquer mágoa e tristeza que mutuamente já nos causámos. 
   Estava sem paciência, naquela manhã de sábado tinha dito febre. Só queria que estivesses ali comigo,como antes. Mandavam-me mensagem "desejo-te as melhoras", tu sabes o que é leres inúmeras vezes as palavras e pensares que como é possível receber de tantas pessoas ,mas só não recebo a que mais desejo? é tão ridículo,essa sensação. Ainda assim fui à bendita festa, doente, sem paciência mas queria tanto ver-te.. Depois por estar assim, senti ainda mais a tua falta, sentia a falta de me aconchegares nos meus lençóis em tons de azul, (tal como são os meus sonhos), quando me costumavas dar o remédio e de te sentares ali ,perto de mim, só sentia a tua respiração no meu ouvido, adorava ouvir-te sussurrar: dorme meu amor, eu estou aqui contigo,quero que fiques melhor, quero ir passear contigo. Em seguida, beijavas-me na testa (gesto esse que reflectia tanta protecção, tanto carinho da tua parte, é um gesto tão nobre mas que nenhum beijo é igualável ao teu)
  Ás vezes é necessário tranquilizar o coração, falar com ele baixinho ,dizendo-lhe que bata com menos intensidade , há que se disfarçar o que se sente (por vezes), mas naquela noite não sei o que se passou em mim, tanto que todas as pessoas me olhavam de uma certa forma que me deram a entender que sentiam necessidade de comentar (umas pessoas próximas comentaram, mas eu ignorei), só me importava naquele momento estar contigo, falar por uns segundos e esquecer tudo,tudo ,tudo mesmo o resto que nos rodeava e nos magoa. 
  Um dia ,depois desta tempestade passar e eu conseguir observar as cores que um dia pintas-te sobre a tela da minha vida, possa ver de novo o arco-íris e que as nuvens cinzentas que me apaziguam, desapareçam tal como quero que suceda o mesmo aos rancores, ódios e raivas que nutro ainda por ti. Quando esse dia chegar, quero que não sejas imprudente e que reflictas sobre este tempo todo sem mim e que me abraces, como fosse a primeira vez, com a mesma intensidade e subtileza que tu sabes e só tu me fazes sentir assim.  Sei que hoje eras incapaz de me abraçar, embora que talvez o desejasses, sei que o orgulho falaria mais alto que o que sentes. Ainda assim, não escondo que te Adorava abraçar e de prender-me por momentos numa moldura de marcas do meu passado. Recordo ainda o dia em que os teus lábios tocaram nos meus pela primeira vez e eu fiquei com uma criança exultante, que recebeu um presente que tanto desejava.
     Um abraço,é o gesto mais terno que conheço, é símbolo de proximidade e cumplicidade. Posso receber abraços e acredito que sejam sentidos, mas.. o teu? e o teu cheiro? nada,nada é igual. 
    Vou entrelaçar as memórias e o tempo amenizará as minhas mágoas. Mas um dia mais tarde, vou procurar-te e irei dar-te um abraço que eternize o tempo e preencha todo o espaço em nosso redor. Quando esse dia chegar, quero que hajas genuinamente e que deixes a magia desse abraço voar, que a fusão dessa harmonia apazigúe todo o nosso sofrimento, que desperte aquilo que foste em mim, o meu sorriso e que seque as minhas lágrimas que têm o teu nome.
Isto só para te dizer, que sinto falta de ti #


2 comentários:

Isabel disse...

Muito obrigada pelas tuas palavras minha querida.
Quanto ao teu texto, quiçá o tempo vos possa voltar a unir da forma que tu bem sabes, nunca se sabe. Mas enquanto isso, possuis maravilhosas recordações que te farão certamente ir mais além.
Gostei muito do texto (:

jo disse...

Já te agradeci, mas volto a fazê-lo. Obrigada pelas tuas palavras loirinha, fizeram-me pensar. Mas neste momento não tenho respostas para todas as minhas perguntas. Só tenho dúvidas. Dúvidas se realmente este amor valeu para os dois.

beijinhos, adorei o texto. força nisso, a saudade é feia, mas com o teu brilho, com certeza que a vais mandar embora. <3