terça-feira, 20 de julho de 2010

és uma saudade

Esta madrugada, custou-me muito adormecer. Pela primeira vez, depois de tudo senti uma enorme saudade e uma grande ansiedade de te ver. Ouvi-a a nossa música "juro-te nunca te vou deixar" e lembra-me do refrão que há uns dias atrás me ligaste sem pronunciares uma única palavra e colocaste o a tal música, eu ouvi-a e quando ia falar , ouvi do outro lado pi-pi-pi,( já tinhas desligado).
Lembrei-me da cor dos teus olhos bonitos e relembro a minha imagem sobre posta neles, ai senti saudade daqueles gestos protectores que muitos até podem dar mas que o teu jeito é único, a percebi-me que já não é falta deles ou uma questão de hábito , mas sim uma saudade imensa que me consome o peito e me enche a alma nostaligicamente. Jamais sentirei um formigueiro na barriga por estar ansiosa por um encontro, jamais conseguirei sentir-me como uma princesa de um conto de fadas, jamais sentirei o teu beijo na minha testa, aquele abraço caloroso e sobretudo terei o teu olhar. Ontem, não sei o que se passou comigo ,não sei se foi pelos comentários de terceiros (não me disseram desta vez nada de mal), porém assim que ouvi pronunciar o teu nome, os meus olhos encheram-se de lágrimas (felizmente estava em casa, assim ninguém me viu chorar por ti, não tenho vergonha mas eu prometi que nunca mais choraria por ti), sinto mesmo saudades tuas. Vou controlar este sentimento, vou apenas guarda-lo para mim, se todas as promessas que me fizeste forem fieis ao teu coração sei que um dia quem sabe estaria contigo.
Contudo, tenho que cair em mim (eu escolhi assim), e se te recordar como um filme? colocarei as nossas fotografias em sequência e vou acreditar que a nossa história é como um filme, " no final tudo acaba bem, se ainda não acabou é porque ainda não é o final", a nossa história parece que já várias vezes terminou, (desta vez, sinto que sim, pelo menos deve ser assim) mas tu tens o comando deste filme infinito, acabo sempre por o reviver, contigo ou apenas quando mergulho nas minhas memórias. Só sei que eu tenho consciência que te quero esquecer e admito nem ter consideração à minha reputação. Se tudo voltasse atrás, eu dava-te ainda mais de mim e ajudava-te, apenas queria que fossemos um só (como já fomos), porém não és um balão para eu soltar em direcção ao céu ,quando eu me canso de o trazer, nunca brinquei contigo (Tu sabes disso), se tudo foi assim ,foi por te amar demais.
Passe o tempo que passe, serás sempre aquele que eu quero, quero dormir e não consigo , eu só te quero e não digo. Quando me reencontrar contigo, vou falar-te (foi o combinado), mas será que vou conseguir sentar-me a teu lado e ter uma conversa como se fosses o que digo, um amigo? Tenho as minhas dúvidas, de certa forma, sinto que me evitas , contudo sei que já me esqueceste (fico feliz, é melhor para mim saber isso). Sabes que sempre fui uma miúda sensível quando se trata de temas de coração, porém hoje leio poemas, oiço musicas românticas , e nada sinto, recordo os sonhos que queria viver contigo, aquelas fantasias dos contos-de-fadas e já nada me dizem. sinto-me fria perante o que me rodeia ou melhor aquilo que queria e gostava e hoje já não simboliza nada para mim.
  Vou ganhar coragem para seguir com a vida em frente e centrar-me no que realmente é fulcral para mim, desculpa mas senti necessidade de te dizer-te que és uma saudade (...)

3 comentários:

danó disse...

que texto tão lindo e tão sentido! :o
adorei mesmo, parabéns :)

http://photosdesenhos.blogspot.com/
blog renovado, se quiseres segue :)

Patrícia Costa disse...

**

Patrícia Sequeira Conceição disse...

A-D-O-R-E-I !